Petrobras X BP – O impacto dos acidentes

21 08 2011

Olá Leitores do Estrategiando.

Desde sexta-feira 19/08/2011, A Petrobras comunicou o desaparecimento de um helicóptero que decolou da plataforma da Petrobras, P-65, na Bacia de Campos.

A Petrobras recomendou que todas as aeronaves do mesmo modelo permaneçam em solo. Hoje, aconteceu uma reunião entre representantes da Companhia e representantes da empresa fabricante do helicóptero, que vieram da Itália.

Nesta tarde a Petrobras comunicou que a aeronave foi localizada com 3 dos 4 ocupantes.

Os detalhes das buscas e os nomes dos ocupantes podem ser conferidas nos links que adicionei neste post. (afinal, vocês sabem que o objetivo do blog é outro).

Assim, vamos fazer nossas análises em relação aos impactos para a Petrobras deste acidente ocorrido na Bacia de Campos – RJ e comparar com o ocorrido no Golfo do México com a empresa BP – British Petroleum (leia aqui).

Pois bem, os acidentes possuem características completamente diferentes e amplitude também. Um envolvendo a vida de pessoas e outro o impacto ambiental como características principais.

Para o caso BP sabemos que os impactos financeiros causados à empresa foi terrível fazendo com que seu valor de mercado despencasse no mercado financeiro e que provavelmente eles ainda levem alguns anos (talvez décadas) para se reposicionar no mercado novamente. (A petrobras passou por algo parecido, com proporção infinitamente menor anos atrás com o vazamento de óleo na Baía de Guanabara no RJ ).

Mas e para a Petrobras, qual será o impacto?

Felizmente a gigante brasileira mostra a cada dia que existe consistência em suas estruturas para estar entre as maiores do mundo. Diversos prêmios recebidos por seus executivos demonstram que há consistência para suportar o crescimento e a pressão que o mercado exige.

Acredito que este acidente não afetará em nada o mercado financeiro nesta segunda-feira pois a gigante tupiniquim vem demonstrando desde o comunicado do desaparecimento da aeronave total envolvimento, disponibilizando toda a infra-estrutura necessária para localização e resgate dos passegeiros e tripulantes do helicóptero.

E quais as consequências para as empresas Engevix e Brasitest? E para a Sênior, dona do helicópetro?

Vamos aguardar o fechamento das operações financeiras de segunda-feira para saber se minha percepção está correta.

Um abraço.

Aos familiares das vítimas, minhas condolências.

Anúncios




Procurando por novas oportunidades de inovação? Questione seu trabalho

1 05 2011

Sabemos que, para procurar por oportunidades de inovação, devemos estar sempre olhando para fora da empresa. Grandes oportunidades de inovação nascem das mudanças no mercado, nas alterações dos hábitos e preferências dos consumidores, nos avanços tecnológicos, etc.

Tudo bem, realmente as grandes oportunidades estão fora dos portões da fábrica, e devemos nos manter atentos nos clientes e na concorrência. Mas também é importante estar atento às oportunidades internas de melhoria e inovação de métodos e processos. Fazer mais e melhor com menos e mais rápido – este é o desafio permanente.

Para ter novas ideias, questione seu trabalho

Por que estamos fazendo isto?

Isto é realmente útil?

Estamos agregando valor?

Há um modo mais fácil?

Estas são as perguntas que devemos fazer de modo permanente antes, durante e depois de concluir alguma coisa, grande ou pequena. É importante fazer estes questionamentos para assegurar que estamos fazendo um trabalho que vale a pena ser feito.

Por que estamos fazendo isto?

Às vezes, você se depara trabalhando em algo mas não sabe porquê? Neste caso, é muito importante questionar por que está trabalhando nisto. Qual a razão disto? A quem beneficia? Qual a motivação por trás disto? As respostas a estas perguntas o ajudarão a entender melhor o seu trabalho.

Isto é realmente útil?

Estamos fazendo algo realmente útil ou estamos simplesmente fazendo algo? É fácil confundir entusiasmo e hábito com utilidade. Não são raros os casos em que organizações continuam a fazer coisas cuja utilidade já desapareceu há muito tempo.

Estamos agregando valor?

Agregar custo é fácil, agregar valor é difícil. Na visão dos clientes, o que estamos fazendo realmente agrega valor aos nossos produtos e serviços? Há uma linha muito tênue entre agregar valor e subtrair valor. Às vezes, quando pensamos que algo acrescenta valor, o usuário vê como aumento da complexidade.

Há um modo mais fácil?

Há dois modos de se fazer algo: o modo difícil e o modo fácil. Há mais de 2.500 anos, Confucio já tinha observado: A vida é realmente simples, mas nós insistimos em torná-la complicada. Ao longo do tempo, os métodos de trabalho tendem naturalmente a se complicarem. Cada gerente introduz novos controles, novos relatórios, novas verificações, etc. Estas complicações são criadas por motivações internas, sem a devida avaliação de seus impactos sobre a qualidade final entregue aos clientes. Toda vez em que criamos dificuldades para nossos clientes, nós os estamos entregando nos braços dos concorrentes.

As questões acima são algumas das perguntas que devemos fazer constantemente sobre as razões, modo de execução e consequências de nosso trabalho. Um trabalho mais simples, mais eficiente e mais útil traz mais riquezas, e também mais prazer e mais alegria.

Fonte: http://criatividadeaplicada.com

Siga no Twitter: @jairosiqueira

Não Desista!





Petrobras encontra petróleo na lua – news

28 03 2011

Nesta segunda-feira, a empresa informou ao mercado uma nova descoberta de petróleo nos trabalhos de perfuração na pós-superfície do satélite Lua. Foi encontrada acumulação de petróleo de boa qualidade no poço denominado Rocha Lunar 1, que fica a 384.405 quilômetros da Terra e a 800 metros de profundidade. A companhia estatal é a única operadora da área e tem 100% do comando que explora o satélite no qual ocorreu a descoberta.

Calma leitores do Estrategiando.

Essa é apenas uma idéia que passou pela minha cabeça após ler algumas informações relacionadas à capacidade de inovação da gigante brasileira Petrobras.

Quem sabe essa notícia não vira realidade em alguns anos.

Não Desista !







Como liderar o seu chefe e fazer mudanças na empresa

19 03 2011

De acordo com o “Livro de Ouro da Liderança” de John Maxwell a palavra liderar significa influenciar pessoas. Se partirmos deste princípio podemos especular que toda vez que influenciamos e persuadimos o nosso chefe, ele está sendo liderado por nós.

Veja como a história dos irmãos McDonald’s comprovam a teoria da influência e liderança. Dick e Maurice McDonald fundaram a primeira loja em Pasadena nos EUA e perceberam a oportunidade de expandir o seu negócio através de franquias. Em 1952 começaram a procurar interessados e conseguiram convencer apenas 15 pessoas a comprarem a sua franquia, das quais apenas 10 realmente abriram as portas. Insatisfeitos com os resultados os irmãos se associaram a Ray Kroc, que entre 1955 e 1959, conseguiu abrir cem restaurantes. Quatro anos depois, contava com quinhentos McDonald’s.

A capacidade de influência e persuasão ( liderança ) de Kroc era infinitamente maior que a dos irmãos que eram ótimos proprietários de restaurante. Sabiam administrar um negócio, tornar seus sistemas eficientes, cortar gastos e aumentar lucros. Eram gerenciadores eficientes, mas como líderes, isto é, influenciadores, estavam longe da excelência, pois não conseguiam convencer as pessoas a comprarem o sua fantástica franquia.

A história dos irmãos McDonald´s pode estar se repetindo com você, isto é, você tem uma bela ideia ou uma fantástica inovação para a sua área ou para a empresa, mas não consegue convencer as pessoas disto.

Gostaria de apresentar a você cinco dicas preciosas para você liderar a sua liderança, isto é, convencê-los sobre aquilo que acredita:

CONFIANÇA: antes de vender uma ideia ao seu superior tenha a convicção de que ele o considera uma pessoa confiável e assertiva, pois na maioria das vezes os chefes dizem NÃO “as pessoas” e não “as ideias”, simplesmente porque não confiam que elas realizarão um bom trabalho ou que tenham boas ideias. Antes de vender ideias venda assertividade e confiança.

Fonte: http://www.administrando.biz

Não Desista !





Robert Kubica recebe sangue do Papa João Paulo II

14 02 2011

O piloto polonês de Fórmula 1, Robert Kubica (Lotus Renault), gravemente ferido em um rali italiano no domingo, receberá uma gota de sangue do Papa João Paulo II para ajudá-lo a se curar, anunciou nesta o cardeal Stanislaw Dziwisz, arcebispo de Cracóvia (sul da Polônia).

Em um relicário que será entregue no sábado a Kubica, internado no hospital Santa Corona de Pietra Lígura, perto de Gênova, há uma gota de sangue e um fio do tecido de um hábito de João Pablo II, indicou Dziwisz.

“João Paulo II praticava esporte, gostava dos esportistas e dos jovens”, declarou Dziwisz, ex-secretário e amigo pessoal de Karol Wojtyla.

Kubica (Lotus Renault) sofreu uma lesão grave quando disputava o rali Ronda di Andora, na região norte da Itália, domingo passado. Ele quase teve a mão direita amputada por uma barreira de segurança que entrou no carro.

Depois de uma cirurgia de sete horas no dia do acidente, os médicos consideram que o polonês tem uma boa recuperação.

E o que esta notícia tem a ver com o Estrategiando?
Uma pena o fantástico Peter Drucker já não fazer mais parte deste mundo, mas seria uma boa ele doar algumas gotas de sangue para alguns líderes empresariais do mundo moderno, não acham?
Não Desista!




Empatia – Garantia de Sucesso Profissional e Pessoal

12 02 2011

Segundo o dicionário Aurélio, a palavra empatia significa:”A capacidade psicológica para se identificar com o eu do outro, conseguindo sentir o mesmo que este nas situações e circunstâncias por esse outro vivenciadas”.”Ato de se colocar no lugar do outro”.

Essa simples palavra quando colocada em prática pode nos tornar pessoas melhores e bem vistas pelos outros, além de proporcionar um crescimento profissional e pessoal sem tamanho.

Simples? Infelizmente não.

Quantas vezes agimos por impulso sem se quer pensar nos outros? Prejudicamos pessoas profissionalmente simplesmente pelo fato que não ter simpatia por ela? Acusamos, denunciamos, implicamos e em nenhum momento paramos para analisar o sofrimento e agonia desta pessoa.

No local de trabalho principalmente, vivenciamos situações que podem exigir um bom desempenho em empatia comunicativa., pois é mais fácil criticar alguém negativamente, do que colocar-se em seu lugar, quando há necessidade de chamar a atenção dessa pessoa.

É importante diferenciar empatia de simpatia ou antipatia. A empatia não é lógica ou racional, é algo natural, que se desevolve com o ser humano. Seu funcionamento é automático, como sentimentos que afloram de acordo com a situação, sem que possamos fazer nada para controlar.

Entretanto, assim como aprendemos a desenvolver a comunicação, espírito de liderança, trabalho em equipe, a empatia pode ser desenvolvida com treinamento, persistência e força de vontade.

Porém cada pessoa deve aprender por si só. Aprender e respeitar as situações, pessoas, reações, enfim aprender o que realmente nos acrescenta conhecimento e crescimento, deixando de lado hieraquia, cor, raça, classe social ou acadêmica.

Um profissional que consegue ser empático com as pessoas tem uma chance maior de sucesso, isso porque ao respeitar os outros, se torna admirado e respeitado simultaneamente.

A partir de agora, pense e reflita um pouco sobre suas últimas atitudes, seja na sua vida pessoal ou profissional. Em como você está lidando com as pessoas ao seu redor, se está sendo justo ou cruel.

Se coloque no lugar das pessoas em que convive e avalie com sinceridade se gostaria de ser tratado da mesma forma ou não.

Avalie até que ponto está sendo um profissional com caráter e não prejudicando pessoas por simples motivos pessoais. Espero que ao terminar de ler esse texto, responda essas perguntas com sinceridade e tente agir com mais empatia para seu bem estar e das pessoas de seu convívio.

Fonte: administrando.biz

 

Não Desista!

 





Metas – A orientação para o crescimento

11 02 2011

Nenhum gerente faria novos pedidos de produtos sem primeiro verificar como foi a venda deles no passado. Correto? Nem sempre. Infelizmente, ainda existem profissionais que conduzem seus vendedores pela intuição e não pela razão. Raramente têm metas. Isto quer dizer que, eles não sabem se sua equipe tem um bom desempenho e a equipe, por sua vez, não sabe o que os gerentes esperam dela – além de não saber como estão se saindo.
Muitos gerentes gastam tempo se preocupando se a equipe vai chegar no horário ou se o caixa foi fechado corretamente. Mas será que eles conhecem seus outros objetivos? Será que sabem como os vendedores estão realmente se saindo? Se a resposta para essas perguntas for negativa, chegou a hora de passar as metas da loja para o papel. 

Acredite: quando isso não é feito, muito provavelmente, não se consegue estabelecer um compromisso. E para alcançar qualquer meta, ter compromisso é fundamental. Se a meta de um vendedor, por exemplo, é vender dez produtos de uma linha específica em uma determinada semana e isto não estiver escrito, ele pode vender oito produtos e achar satisfatório, concorda?

Um dos principais motivos para o fracasso de uma loja está no fato de a gerência não se basear em metas e estatísticas. Então, trate de colocá-las em prática o quanto antes!

Você pode traçar metas para diversos objetivos, diminuir gastos, reduzir estoque, aumentar a agilidade do caixa, vender mais, dentre outros.
O ideal é que as metas sejam de curto a médio prazo, definindo uma meta, por exemplo de faturamento anual baseado nas vendas dos últimos dois anos, é possível projetar metas mensais e até semanais, levando em consideração a curva de vendas nos meses de maior e menor movimentação.

Seja sempre racional ao projetar as metas, numeros irreais podem ser fator desmotivante! Considere fatores internos e externos, como índices de aquecimento do mercado financeiro, novos produtos, ações de marketing externas e de parceiros. Enfim, o planejamento e principalmente as metas são indispensáveis para alcançar o melhor desempenho, assim como um atleta maratonista, que sabe como dar o seu máximo visando a meta de chegada, o empreendedor deve saber também medir seus esforços e sempre buscar o primeiro lugar!

Boas vendas!
Fonte: Varejista / Automatizando.
Não Desista !